• Direitos políticos dos militares
  • Paulo Adib Casseb
    • Resumo
    • O presente trabalho analisa os direitos políticos dos militares no Brasil, principalmente a cidadania passiva, uma vez que a Constituição estabelece restrições à participação política dos militares e graus distintos, como as relativas aos conscritos, aos militares com mais e com menos de dez anos de atividade profissional. Examinou-se como a doutrina e a jurisprudência definem a cidadania passiva dos militares e promoveu-se, também, um estudo da disciplina estrangeira da matéria.
    • Palavras-chave
    • Elegibilidade. Inelegibilidade. Militar. Cidadania. Democracia.
    • Referências
    • ARANCÓN, A. M. La revolución francesa em sus textos. Madri: Tecnos, 1989, p. 34.
      BRASIL.Tribunal Superior Eleitoral – Recurso Especial Eleitoral n. 20.318 – Classe 22ª – Pará, Rel. Min. Sepúlveda Pertence, votação unânime, j. 19.09.2002, publicado em sessão. No mesmo sentido AC nº 20.169/02.
      BRASIL. Tribunal Superior Eleitoral – Recurso Especial Eleitoral n. 20.169 – Classe 22ª – Mato Grosso, Rel. Min. Sepúlveda Pertence.
      DAHL, R. A. La igualdad política. México: Fondo de Cultura Económica, 2008, p. 19.
      DE PLÀCIDO E SILVA. Vocabulário jurídico. 27. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2008, p. 82.
      FERREIRA FILHO, M. G. Curso de direito constitucional. 22. ed. São Paulo: Saraiva, 1995, p. 101.
      GONZÁLEZ-PACHECO, A. La revolución francesa (1789-1799). Barcelona: Ariel, 1998.
      LOBÃO, C. Direito Penal Militar. 3. ed. Brasília: Brasília Jurídica, 2006, p. 121.
      PIMENTA BUENO, J. A. Direito público brasileiro e análise da constituição do império. Rio de Janeiro: Ministério da Justiça e Negócios Interiores – Serviço de Documentação, 1958, p. 462.
      PIMENTEL, L. A restrição de direitos aos militares das forças armadas. Lisboa: Associação Académica da Faculdade de Direito de Lisboa, 2008, p. 320.
      PINTO, D. Direito eleitoral. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2000, p. 39.SILVA, J. A. Curso de direito constitucional positivo. 18. ed. São Paulo: Malheiros, 2000, p. 391.
      PONTES DE MIRANDA, F. C. Comentários à constituição de 1946. 2. ed. São Paulo: Max Limonad, 1953, vol III, p. 359.
      PONTES DE MIRANDA, F. C. Comentários à constituição de 1967. 2. ed. São Paulo: RT, 1970, tomo IV, pp. 594 e 595.
      SILVA, J. A. Comentário Contextual à Constituição. São Paulo: Malheiros, 2005, p. 219.
      SOARES DE SOUZA, F. B. O sistema eleitoral do império. Brasília: Senado Federal, 1979, p. 38.
      TORRES, J. C. O. A democracia coroada. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, 1957, p. 284.
      NOGUEIRA DA SILVA, P. N. Breves comentários à constituição federal. Rio de Janeiro: Forense, 2002, vol. I, p. 241.
      ROTH, R. J. Elegibilidade do militar e suas restrições. www.jusmilitaris.com.br. Acesso em 17.02.2010.
      ROTH, R. J. Justiça militar e as peculiaridades do juiz militar na atuação jurisdicional. São Paulo: Juarez de Oliveira, 2003, p. 28.
    • Abstract
    • This paper analyzes the political rights of the military in Brazil, mainly passive citizenship, since the Constitution provides for restrictions on political participation of military and different degrees, such as those for conscripts, the military with more and with less than ten years professional activity. It was examined how the doctrine and jurisprudence define passive citizenship of the military, and also was promoted a study of foreign law about the matter.
    • Keywords
    • Eligibility. Ineligibility. Military. Citizenship. Democracy.
    • pt_BR